Yantra de Siddha Yoga para o Aniversário em Êxtase:
Um presente de Gurumayi Chidvilasananda

Birthday Bliss Yantra

Sobre o Yantra de Siddha Yoga para o Aniversário em Êxtase

Por Ami Bansal

Um yantra é um diagrama sagrado, uma imagem que serve de foco para aquietar a mente. Este yantra foi criado por Gurumayi Chidvilasananda. É o presente de Gurumayi a todos que visitarem o site do caminho de Siddha Yoga durante o mês de junho, celebração do seu aniversário, conhecida como Aniversário em Êxtase.

Yantra

Em tempos remotos, na Índia, as formas vibrantes dos yantras foram vistas pelos yogues em meditação profunda. Um yantra representa a evolução livre e extasiante da Consciência suprema ao criar as miríadas de cores, sons e formas que compõem o universo. O yantra também representa a involução da Consciência conforme ela retorna à sua fonte primitiva. Além disso, um yantra incorpora a shakti de uma divindade ou aspecto particular do Ser supremo.

A palavra sânscrita yantra significa literalmente “instrumento”. Yam significa “conter, sustentar ou apoiar”, e tra, “proteger”. Portanto, o yantra é um instrumento que contém a energia divina da deidade e protege quem medita nele. O yantra leva a consciência do buscador da mente ao Coração, da forma ao sem forma.

Elementos do yantra

Bhupura

Yantras são tradicionalmente delimitados por um bhupura — um quadrado com quatro portais. Bhupura significa literalmente “morada” ou “região da Terra”. O bhupura fornece um limite e atua como recipiente para o poder do yantra. Significa tanto o mundo físico quanto o corpo humano, no interior do qual o mundo espiritual é revelado.

Lótus

O lótus é um símbolo universal de pureza e desenvolvimento espiritual. Uma das palavras sânscritas para lótus é kamala. De acordo com uma análise tradicional de kamala, a letra ka significa “esplendor” ou “brilho” e mal significa “conter ou possuir”. Num yantra, um lótus significa um centro de energia que vibra permanentemente com luz e os sons divinos dos mantras. Quando um buscador medita num yantra, o lótus desabrocha, levando sua consciência para dentro do Coração.

O yantra de Siddha Yoga para o Aniversário em Êxtase contém dois lótus — um de sete pétalas e outro de oito.

Lótus de sete pétalas

No centro do yantra de Siddha Yoga para o Aniversário em Êxtase está um lótus de sete pétalas. Este lótus tem a forma do Senhor Ganesha, a divindade desse yantra. O Senhor Ganesha é o aspecto do Absoluto que representa novos começos e remove todos os obstáculos. A forma do Senhor Ganesha sugere a forma do símbolo sânscrito para o som primordial AUM — ॐ. Portanto, é dito que ele encarna o som primordial. As sete pétalas deste lótus simbolizam as sete notas da escala musical indiana, que surgem de AUM.

Em algumas escrituras do shaivismo, o número sete significa o Shri Guru, o poder outorgador da graça de Deus. As escrituras dizem que existem seis formas do Senhor Shiva, e além de todas elas está Shri Guru — o sétimo Shiva, Parama-shiva, o supremo Absoluto que assume uma forma encarnada. No caminho de Siddha Yoga, a concessão da graça de Shri Guru pela iniciação shaktipat marca o início da jornada espiritual para a liberação.

Lótus de oito pétalas

O número oito é sagrado para a Deusa, a Shakti onipresente, a energia que é a força vital dentro de todos os seres.

De acordo com as escrituras, um dos centros de energia do corpo sutil é o hrit chakra ou hridaya chakra, o lótus de oito pétalas do coração. O lótus do coração fica localizado na região do coração físico e é o assento do atman luminoso — a alma. Este lótus do coração original pulsa com amor incondicional.

Círculo de 54 corações

No yantra, o círculo representa a evolução e involução em espiral do poder criativo da Shakti.

Na filosofia yogue, o número 54 é significativo por ser a metade do altamente auspicioso número 108. Além disso, as letras do alfabeto sânscrito se compõem de 54 vibrações sonoras. Os japa malas são tradicionalmente feitos com 108 contas ou divisões desse número sagrado — 54, 36, 27 ou 9.

Sahasrara

As pétalas delicadas dentro do círculo de corações representam o sahasrara, o centro mais elevado do corpo sutil e o ápice da jornada espiritual. Sahasrara significa literalmente “milhares de raios de luz”, e é descrito nas escrituras indianas como o lótus de mil pétalas, simbolizando o infinito esplendor da Consciência suprema.

Nila Bindu

Nila, em sânscrito, significa “azul”, e bindu é literalmente “um ponto” ou “um ponto focal”. Devido ao brilho insuperável do nila bindu, Baba Muktananda o descreve como a Pérola Azul. Esta é a morada do Ser interior e a origem da força vital dentro de nosso ser.

Em sua autobiografia, Jogo da Consciência, Baba Muktananda descreve a visão que teve em meditação da Pérola Azul. Baba escreve:

Eu vi um esplendor celestial como uma bruma, e, no meio daquele esplendor, a Pérola Azul. Aquele brilho crescia dia a dia. Ele está sempre presente em volta da Pérola Azul, e é dito que o esplendor do firmamento no interior do sahasrara provém da magnificência da Pérola Azul. Eu meditava nela todos os dias, e a cada dia surgia a consciência “eu sou o Ser”.

Convite

Este yantra de Siddha Yoga é uma ferramenta de meditação. Você está convidado a dedicar um tempo todos os dias, durante o Aniversário em Êxtase, para visitar o site do caminho de Siddha Yoga e meditar nesta imagem sagrada — o presente de Gurumayi para você.

1Swami Muktananda, Jogo da Consciência: Uma autobiografia espiritual (Rio de Janeiro, RJ: Siddha Yoga Dham Brasil, 2000), p. 198.